EsportesNotícias

Futebol de Campo Adulto 2018 – Neste sábado (01/12), primeiro dia do último mês do ano de 2018, chegamos às finais da competição. Dois bons jogos fecharam com chave de ouro a categoria adulta no ano. Na Taça de Prata, Pratão honrou o nome e venceu o River. Já na Taça de Ouro, Puma, que nunca havia vencido em ano par, provou que essas coisas que colocam só pra mexer a cabeça da equipe é tudo besteira e venceu pela quarta vez, um Verona que foi vice pela terceira vez, e em seguida.

Como foram as Decisões:

Taça de Prata:

Pratão 3 x 2 River – O jogo começou com o River mais organizado e jogando melhor, criando mais e ditando o ritmo do jogo, mas o Pratão, com seu zagueiro Daniel em um dia feliz, no seu primeiro ataque abriu o placar. Parecia sorte e o jogo continuou como estava, até que de novo, Daniel no lugar certo e na bola certa aumentou, para a incredulidade da equipe do River que não acreditava no placar. Mas aí, com 2 x 0 na frente, o Pratão cresceu e o River deu uma sentida, e não demorou muito para o Joselito, em um belo gol, aumentar, levando este placar um pouco excessivo pelo que foi a partida para o intervalo. Na volta, o Pratão fazia o seu jogo, só cozinhando o galo para manter o confortável placar construído no primeiro tempo e o River buscando o seu gol de honra, sem muita convicção de que poderia virar, até que o Thiago Solon diminuiu. O gol não mudou nada, jogo continuou na mesma toada, até que o Alexandre Leitão fez mais um para o River e aí o River acreditou que dava de pelo menos levar para as penalidades, o Pratão assustou, o jogo ganhou em emoção, mas nada mais aconteceu e Pratão Campeão da Prata. “Time começou dormindo, muito mal, tomamos 2 gols muito rápido e quando tivemos a chance de diminuir tomamos o 3º. Tivemos um gol anulado que ninguém entendeu o que aconteceu. Mas no segundo tempo crescemos, conseguimos diminuir para 2 x 3 mas aí já era tarde, estávamos cansados, não tínhamos mais perna e o Pratão soube se segurar. Foi um jogo muito duro, na bola e o Pratão foi campeão com méritos. Agradecemos a todos pelo campeonato e torcer para 2019 termos um campeonato mais fortalecido, com mais times e os líderes mais unidos” Marcelo (River).

Taça de Ouro:

Puma (5)2×2(4) Verona – Grande jogo que fechou em grande estilo a competição. Jogo movido a vários paradigmas a serem quebrados – o primeiro, que o Puma não vence em ano par, desde a sua estreia na competição em 2013, quando venceu o Malandros na final e conseguiu o primeiro título e o Verona, precisando quebrar a sequência de vices, já que havia perdido para o Camarões em 2016 e o próprio Puma em 2017. Verona, time com grande apoio de grandes atletas que brilham e brilharam na elite do futebol nacional e com grande torcida no clube, começou mal e o Puma, com vários meninos jovens começando a sua trajetória no futebol e no clube, foram pra cima e logo abriram 2 x 0, com gols de Matheus Afonso e Vitor, dois gols de bola parada, o primeiro de pênalti e o segundo depois de uma inteligente cobrança de falta de Matheus Afonso, jogando não um balde, uma piscina de gelo na cabeça do Verona. Com o Verona atordoado, Puma dominava soberano, até que o Cesar Paulo, recebe na área uma bola da direita e o zagueiro que o marcava cometeu o erro de deixa-lo dominar e aí, com toda a sua habilidade e categoria, girou no marcador e diminuiu, ressuscitando o Verona que cresceu. Não demorou muito até que, depois de uma bola alçada na área a bola raspar na cabeça de um atleta do Verona, sobrar para o Rabeira que fuzilou e empatou o jogo, ficando assim até o fim da primeira etapa. Na etapa final, parecendo que as equipes estavam satisfeitas com o empate, criaram pouco, tipo, o medo de perder tirou a vontade de ganhar e foram para as penalidades, que era o que queriam mesmo. Verona já havia perdido o titulo para o Camarões nas penalidades e  queria se redimir e o Puma ainda não tinha decidido o titulo nas penalidades, já que o primeiro titulo venceu o Malandros por 1 x 0 e os outros dois, contra Felas e Verona por 3 x 2. Verona começou batendo e o Paulinho quis achar o ângulo direito do goleiro, tirou demais e mandou pra fora. Em seguida, na pressão, o Vitor fez, dando tranquilidade ao Puma, saindo na frente. Na sequência das cobranças ninguém perdeu.  Bateram pelo Verona e marcaram – Eduardo Vitor, Amorim, Bruno Beleza e Vitor Dantas. Marcaram pelo Puma, após o Vitor Oliveira, Matheus Afonso, Nicholas, Emanuel e João Pedro que finalizou com categoria e Puma campeão, ou melhor, tetra campeão (2013, 2015, 2017 e 2018). “Fizemos uma bela partida, o Puma também. Nos pênaltis não é sorte é competência, eles tiveram mais competência que nós e foram campeões” Elegância (Verona). “Jogo foi tenso. Verona grande time, de tradição na AABB, grande elenco, muito bom jogo, foi a final que tinha que ser assim, com empate, na raça, no coração, na emoção, parabéns a rapaziada do Verona, Cesar Paulo monstro, joga demais, gosto desse cara, tamo junto rapaziada o Puma é tetra” Serginho (Puma).

E assim concluímos mais uma competição em nosso clube, com muita vibração, emoção e principalmente, com respeito a todos. Vencidos parabenizaram vencedores, como tem que ser e após a premiação todos se confraternizaram como um time só, o time das equipes que fazem o esporte da AABB tão grandioso.

Nosso próximo encontro será na festa dos melhores do ano, que será realizada na próxima terça (04) e depois nas finais do Sintético 30, competição que encerra o ano esportivo da AABB.

Vamo que vamo que o ano está indo e 2019 já vem babando, prometendo ser melhor do que foi 2018 e olha que 2018 foi um grande ano.

Destaques da Competição:

Artilheiro: Marcos Gabriel (América/Astória).

Defesa Menos Vazada: Camarões.

Taça de Prata:

Campeão: Pratão; Vice Campeão: River.

Taça de Ouro:

Campeão: Puma; Vice Campeão: Verona.

Seleção da Competição:

Goleiro: Maicol (Camarões). Ala Direita: Magalhães (Puma). Zagueiros: Thiago (Verona) e Renatinho (Puma).  Ala Esquerda: Bruno Parreira (Verona). Meias:  Kabila (América/Astória), Victor (Puma), Henrique Bobrov (Camarões), Anjinho (Puma). Atacantes: Rodolfo (Verona) e Marquinhos (América/Astória).